Preservando as belezas naturais do oeste da Bahia!

 

Ambientalistas recebem homenagem na 2ª edição “Pequi de Ouro”

A entrega do troféu “Pequi de Ouro” foi marcada pela criatividade dos organizadores e emoção dos homenageados. A noite festiva teve início com a apresentação do canto das lamentações de mulheres vestidas de branco simbolizando o canto das carpideiras para conter as ameaças aos rios. Os troféus vieram de barco sob a luz de candeeiros, foi um momento espetacular.
O título foi entregue a pessoas e organizações que defendem, de modo exemplar, uma convivência sustentável com o bioma Cerrado na região da bacia do Rio Grande, no dia 09/05, no Rancho do Rio, localizado à margem do Rio Grande no centro de Barreiras. Sendo o fruto do “pequi” um dos mais populares símbolos do Cerrado natural, nada mais justo do que entregar um “Pequi de Ouro” como sinal de reconhecimento das lutas e paixões pelo Cerrado regional. A homenagem é uma iniciativa da agencia 10envolvimento.
“A homenagem é um reconhecimento da 10envolvimento pelo histórico de luta de pessoas e organizações que defendem questões ambientais”, explicou a coordenadora do setor de meio ambiente, Edite Lopes.
A 10envolvimento foi criada em 2004 por iniciativa da Diocese de Barreiras, e tem a missão de contribuir para um desenvolvimento orientado pela justiça social e pela sustentabilidade ambiental no Território da Bacia do Rio Grande. Promove e participa de iniciativas, projetos e programas que fortaleçam a cidadania, promovam a inclusão social e defendam a convivência sustentável com os biomas Cerrado e Caatinga. As ações são baseadas em pesquisas e diagnósticos participativos, comprometem-se com a capacitação educativa, gestão compartilhada e o fortalecimento do gênero.

Perfil dos homenageados com o troféu “Pequi de Ouro 2013”

 
   

 

A Agência 10envolvimento tomou a liberdade de homenagear o Procurador Jurídico do Estado da Bahia, Dr. Estácio Marques Dourado com o “Pequi de Ouro” por sua corajosa e coerente postura de defender as comunidades tradicionais na bacia do Rio Grande, tão vitimadas pela onda de grilagem que tem precedido à instalação do agronegócio de grande escala no cerrado regional. Estácio é Servidor Público do Estado da Bahia, na condição de Procurador Jurídico a disposição da Coordenação de Desenvolvimento Agrário – CDA, vinculada à Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária – SEAGRI. Estácio destaca-se como profissional que mais tem presidido as complexas, quase sempre polêmicas “Ações Discriminatórias Administrativas Rurais” na Bahia.

 

 

 

 

 

 

 
   

Com a entrega do troféu “Pequi de Ouro”, a Agência 10envolvimento premiou o “Movimento das Mulheres Trabalhadoras na Luta”, de Tabocas do Brejo Velho com uma iniciativa extraordinária de gênero no âmbito dos esforços pela preservação do cerrado. O “Movimento das Mulheres Trabalhadoras na Luta”, formado por lavradoras dos municípios de Tabocas do Brejo Velho nasceu em 1986.  Inspiradas pela fé no Cristo libertador, as mulheres iniciaram uma luta compartilhada por saúde, emprego, formação política e religiosa, e contra as diversas formas de violência contra a mulher. Atualmente, o Movimento conta com seis sub-grupos nos municípios de Tabocas e Brejolândia. Ele é organizado como associação comunitária, atualmente presidida pela Senhora Maria Elenita Cavalcante. As mulheres reativam atividades de extrativismo na chapada do cerrado do município, buscando alimentos, remédios, fibras e sementes para o artesanato. O Movimento alcançou o apoio do “Fundo do Programa de Pequenos Projetos Eco-sociais” de Brasília, o que lhes permitiu aprimorar suas habilidades técnicas e organizativas.

 

 

 

 
   

 

A Agência 10evolvimento considera-se como parceira da atual Gerência Executiva do IBAMA de Barreiras. As atribuições da Gerência Executiva do IBAMA de Barreiras abrangem uma área de 220.000 km² no oeste e sudoeste da Bahia. Para encarar as demandas de tal gigantesca região, a equipe conta com 11 servidores, dirigidos pelo Gerente Executivo Zenildo Eduardo Soares. Em tempos passados, muitas comunidades geraizeiras tinham um verdadeiro horror do IBAMA de Barreiras, o que levou a uma ocupação do escritório do IBAMA por comunidades e movimentos populares no ano de 2005; no entanto, precisa saber que tal ocupação significou um verdadeiro alívio moral para os servidores realmente comprometidos com a causa do meio ambiente, entre estes o atual Gerente Executivo de Barreiras Zenildo Eduardo. A Gerência continua sofrendo os impactos de encolhimento e liberalização da política ambiental no país, porém, não abre mão da defesa de um modelo ambientalmente sustentável para a ocupação do cerrado oestino e usa suas atribuições para impor-se com tais convicções, muitas vezes a contra-gosto de influentes políticos e poderosíssimos grupos econômicos.

 

 

 

 

 
   

Nascida na comunidade de Canudos, pertencente ao município de Riachão das Neves, a fundadora da ONG “Tapuio Sarapó”- Dona Maria Lourdes Carvalho Miranda, conhecida com “Onça Lú”, nunca se desprendeu das cabeceiras e beiradas do Riacho Sarapó, mesmo sendo levada para São Paulo aos 10 anos de idade para ganhar o seu sustento e também da sua família. Chocada com a perca de muitas belezas naturais e elementares recursos comunitários, ela começou, a partir de 1993, empreender denúncias contra invasões e desmatamentos criminosas nas áreas comunitárias das comunidades Canudos e Pajeú. Na época, até funcionários do próprio IBAMA faziam parte da apropriação fraudulenta e da degradação abusiva das até então preservadas reservas ecológicas. Apesar de muito ameaçada, Dona Lú resolveu redobrar a sua resistência e incentivou a formação da organização não-governamental “Tapuio Sarapó”, criada no ano de 2000. Através da mesma conseguiu a decretação de um parque municipal de4000 hectares na região do riacho Sarapó. No entanto, o decreto tem ficado um mero pedaço de papel; na realidade, a degradação da área continua. Dona Lú idealizou o “Grito das Águas” o qual neste ano de 2013 já aconteceu na sua 10ª edição. Com a entrega do “Pequi de Ouro”, a Agência 10envolvimento parabenizou Maria Lourdes por seu zelo pelos laços de origem, por sua bravura na resistência contra a degradação do Riacho Sarapó e por sua criatividade de fomentar pessoalmente uma luta que se emprega longe do seu domicílio principal.

 

 
   

Edson José de Souza, 80 anos, conhecido como Guardião da “Gruta dos Tapuios”, nasceu na Vila “Sítio do Rio Grande. Passou a sua infância na beira do Rio Grande, até partir para Petrópolis e depois para Catende em Pernambuco, a fim de adquirir uma formação superior. No entanto, não pôde concluir os estudos, por ser chamado ao Exército. Depois, ganhava seu sustento como vendedor de livros. No entanto, depois de casar-se mudou-se para o sítio herdado dos pais. Instalou-se nele, sustentando-se da lavoura e criação, criando seis filhos que o presentearam, até então, com nove netos e dois bisnetos. Foi eleito para a primeira Câmara Municipal do recém-criado município de São Desidério, sendo um dos autores principais da Lei Orgânica deste município. Desde quando tomou conta do sítio herdado, vem empregando um zelo especial ao extraordinário patrimônio natural e cultural nele instalado: as ancestrais pinturas rupestres na “Gruta dos Tapuios”, também chamada “Gruta das Pedras Brilhantes”. Incansavelmente, Seu Edson vigia sobre a conservação das grutas, mostra aos visitantes com originalidade e competência única as belezas nela guardadas, abre um olhar para sua convivência harmoniosa com a água, as grutas e o gerais. A Agência 10envolvimento deseja render essa homenagem ao Senhor Edson José de Souza por seu exemplo de cidadania, dignidade e compromisso com a natureza e com o legado histórico que são patrimônio de todos, mas confiado por Deus ao zelo particular de cada um e cada uma.

 

 

 
   

Iremar Barbosa de Araújo – Professor e artista geraiseiro, nascido na comunidade “Casa de Pedra” no município de Santa Maria da Vitória, criado no mundo geraiseiro e alfabetizado já na idade de 18 anos, virou um professor e artista de fibra popular, enraizado na convivência com as comunidades tradicionais e pautado pela militância por justiça sócio-ambiental no cerrado. Iremar é ambientalista nato e músico autodidata. Seu engajamento insere-se nas lutas da “Articulação Popular da Defesa do Rio São Francisco”, protagonizadas por comunidades e movimentos juntos à Comissão Pastoral da Terra. Descendente de uma família de músicos, Iremar Barbosa toca com uma dedicação especial para as tradições musicais do povo geraiseiro, resgatando antigas canções e animadas danças, fazendo vibrar os que ouvem os ritmos tradicionais do cerrado. A Agência 10envolvimento reconhece a experiência, criatividade e valentia de Iremar em prol de vida e cultura geraiseira, portanto homenageou com o troféu “Pequi de Ouro”.

 

Texto: Cheilla Gobi
Fotos: Ana Cedro

Copyright ©direitos reservados à ONG Tapuia Sarapó
Desenvolvido pelo Grupo São Matheus